5 dicas para cobrar os honorários advocatícios

ProJuris Dia a Dia, Dicas, Finanças 3 Comments

Conseguir bons casos não é a parte mais difícil quando se advoga. O problema está em quanto cobrar para cada trabalho realizado. E essa dificuldade, inclusive, atinge desde advogados iniciantes até o mais experientes.

Mas por que é tão difícil saber o valor adequado de cada honorário advocatício? Simples! Pelo fato de não se ter noção, muitas vezes, se a causa vai dar mais trabalho que o esperado. Isso porque há ações que possuem trâmites processuais relativamente rápidos, porém dependerá muito da outra parte colaborar para que isso aconteça.

Pensando nisso, elaboramos algumas dicas essenciais para que você consiga mensurar o valor de seus honorários advocatícios de forma adequada e segura. Confira!

1 – Utilize a tabela da OAB

Esta tabela dá referências de valores a serem cobrados dependendo do trabalho advocatício exercido. Mas é só um parâmetro, principalmente para quem está começando nesta carreira tão concorrida. Isto é, os valores ali apresentados podem ser majorados conforme a complexidade, o prestígio, a relevância e o valor da causa.

Mas é sempre bom utilizá-la como forma de comparação. Até porque a tabela traz valores mínimos e máximos.

2 – Analise o caso concreto

Escute o seu cliente. Verifique os fatos narrados e veja o quão trabalhoso será para você defendê-lo em juízo. Trace os prós e contras da possível ação e não se esqueça de calcular os encargos e custos vindouros.

É bom também avaliar a parte contrária, as provas e as chances de vitória do seu cliente. Quanto maiores a chances de uma sentença a favor, melhor para você na hora de cobrar pelos seus serviços.

cta software jurídico ebook inadimplência para advogados

3 – Negocie com o cliente

Um bom advogado autônomo ou de escritório negocia uma parcela inicial para que possa já trabalhar na ação (ou ações). Negocie com o cliente uma entrada (entre 15 a 30% do valor total dos honorários). Lembre-o que essa contraprestação é de suma importância para que não haja ônus futuros. Afinal, trabalhar sem receber é um risco e tanto. Até porque muitos clientes acabam desistindo da causa ou mudando de advogado sem pagar os custos devidos.

LEIA TAMBÉM  Preciso de um software jurídico? Faça o teste!

Logo, essa parcela inicial é uma garantia para você e, em consequência, para o seu cliente. Dessa forma, você se sentirá mais seguro de trabalhar e seu cliente de que o trabalho será desenvolvido.

4 – Compare com trabalhos semelhantes

Em muitas ocasiões, um cliente lhe procura com um caso bastante semelhante ao de outro cliente, certo? E, inclusive, casos semelhantes já foram resolvidos por você. Então, se tiver um recurso que o ajude a gerenciar casos finalizados, em andamento e iniciais para comparar os gastos, o lucro e os honorários de cada um deles, será de grande valia.

O software ProJuris é um exemplo disso, já que ele é capaz de lhe dar um panorama de cada processo. Assim, por meio desse programa, você avaliará casos já realizados em relação aos novos. E, portanto, poderá calcular adequadamente os seus honorários advocatícios.

5 – Aumente o preço e o seu prestígio

Sim, você pode cobrar mais caro quando há ações em que se sente especialista. Afinal, você estudou e trabalhou muito para chegar nesse patamar. Então, nada mais justo que cobrar um pouco mais caro para realizar trabalhos em que você já é expertise.

Isso é uma tática boa para lhe dar prestígio e nome quando o assunto são casos X e Y. Por isso, tente sempre se especializar em determinados tipos de ações para que possa, em um futuro próximo, cobrar a mais pelo seu trabalho.

Dicas extras:

– O valor cobrado deverá cobrir todos os seus gastos (do começo ao fim da ação);

– Gastos com estudos e horas em cima da causa deverão ser computados nos honorários;

– Não fuja da realidade processual e não cobre mais que seu cliente possa arcar;

– Faça uma previsão de tempo, desde a preparação ao trânsito em julgado da ação;

– Possíveis recursos, embargos e apelações deverão ser previstos;

– Calcule o custo/benefício para você ou para o seu escritório;

– E lembre-se do teor do Código de Ética da OAB (principalmente dos artigos 35 ao 37).

- conversão projuris ONE melhor software jurídico para advogados

email

Comentários 3

  1. Pingback: O ASAAS e o ProJuris vão modernizar sua cobrança de honorários | Asaas

  2. Parabéns pela matéria, sempre muito oportuna, já que é mesmo uma árdua tarefa mensurar intelectualidade. Apenas não concordo com a dica “(…) não cobre mais que seu cliente possa arcar”. Eu concordo que devamos ser razoáveis, mas tem cliente que, ainda que vc cobre o mínimo estipulado pela tabela, ele ainda não tem como pagar, daí fica complicado você ter que incluir nessa discussão condição financeira do cliente. Um abraço.

  3. Tenho uma dúvida: é cobrado um valor x pela causa e depois mais 20% do valor da causa, é isso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *