Como evitar a inadimplência mesmo sendo um advogado autônomo

ProJuris Dia a Dia, Finanças 0 Comments

Saiba quais são as melhores táticas para combater a inadimplência em seu escritório jurídico. 

Uma boa relação entre advogados e clientes está pautada na confiança. Devido ao caráter personalíssimo que envolve a profissão, muitos acabam criando exceções com relação à cobrança de honorários, abrindo uma enorme brecha para a inadimplência. Facilitar as condições de pagamento de honorários apostando nas relações interpessoais, ou mesmo sem conhecer devidamente o cliente, pode se transformar em um erro fatal e comprometer a saúde financeira de seu escritório.

Não importa se o profissional atua de forma autônoma ou em nome de uma empresa, é sempre necessário tomar alguns cuidados para evitar o tão temido “calote” de clientes. Conheça cinco dicas práticas que podem ajudar a evitar a inadimplência:

1)  Conheça bem seus clientes

Conhecer bem o seu cliente também significa avaliar sua capacidade financeira para arcar com os custos de um processo ou de uma consultoria jurídica. Por isso, antes de formalizar uma relação profissional, procure informações junto às entidades de proteção ao crédito. Avaliar o comprometimento da renda do cliente e o padrão de comportamento de seus pagamentos anteriores pode ajudá-lo a estabelecer medidas mais conservadoras na hora de efetuar as cobranças.

2) Realize um controle de cadastro

Muitas vezes o escritório sofre com a inadimplência, no entanto, não possui sequer um controle acerca de quem são os clientes inadimplentes e quem são os clientes que honram seus compromissos. Para evitar problemas no orçamento, é necessário realizar um controle rigoroso do cadastro, mantendo não apenas os dados da cobrança atualizados, mas também uma relação completa acerca de quais são os devedores.

Esse tipo de controle ajuda a diminuir de forma significativa a inadimplência. Pode parecer um contra senso, mas muitos clientes acabam deixando de pagar porque não receberam suas faturas nos endereços físicos ou eletrônicos corretamente. Erros de cadastro promovem inúmeras falhas na comunicação e, consequentemente, no pagamento.

Com o controle de cadastros feito o advogado tem em mãos uma série de informações que podem ser usadas ao seu favor. Por exemplo, é possível incluir todas essas informações junto ao Projuris, um software especializado na área jurídica, que permite a geração de relatórios e outros documentos customizados, facilitando a estratégia dos escritório no que se refere às cobranças.

LEIA TAMBÉM  A gestão de contratos com (e sem) um software jurídico

3) Faça um contrato de honorários 

É de extrema importância firmar um contrato de honorários junto aos seus clientes, evitando assim quaisquer mal entendidos com relação à cobrança de honorários e aos serviços prestados.

No entanto, muitos profissionais sabem que, devido à cultura bastante informal do país, muitos clientes se sentem constrangidos de assinar um contrato junto a um advogado. Para evitar esse tipo de situação, busque sempre formalizar os termos da relação profissional, bem como, a forma de pagamento a ser efetuada, evitando assim discussões e problemas futuros envolvendo a inadimplência.

Ter esse tipo de formalização também é uma ferramenta na hora de realizar a cobrança. O Projuris é um software com experiência de mercado e disponibiliza aos seus usuários um sistema exclusivo de gestão financeira que auxilia, entre outros, a faturar por contratos obedecendo critérios quanto aos valores mensais ou variáveis em função da natureza do trabalho.

4) Evite o parcelamento extenso para o pagamento de honorários

O parcelamento dos honorários é uma facilidade que muitas vezes beneficia o cliente, no entanto, pode prejudicar o advogado já que em regra os honorários são compostos também por custos operacionais. Por isso, deve-se evitar ao máximo o parcelamento longo para novos clientes.

Como muitas vezes os serviços jurídicos servem para solucionar questões pontuais, o parcelamento coloca o profissional no risco de finalizar o serviço, mas ver as parcelas ainda restantes serem deixadas de lado pelo cliente. Evite esse tipo de dor de cabeça sendo sucinto e facilitando pouco com relação à cobrança de honorários em prestações.

5) Dê atenção às sazonalidades

Em alguns meses do ano, a inadimplência é mais comum do que em outros. Para esses casos, o advogado deve ter atenção dobrada para obter seus pagamentos. Nos meses de janeiro, fevereiro e março, tradicionalmente ocorre o maior nível de inadimplência devido às dívidas construídas no mês de dezembro. Por isso é necessário ter maior atenção na cobrança de honorários nesses meses.

email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *