Como usar os sistemas dos Tribunais de forma automatizada?

Compartilhe este conteúdo:

O volume de petições que os advogados têm de elaborar e enviar para os Tribunais, todos os dias, é muito alto. E o fato de o profissional poder contar com a petição eletrônica elimina a necessidade de ir presencialmente até o fórum para protocolar o documento. Essas preocupações ficaram para trás com o benefício de se fazer eletronicamente.

Mas com essa vantagem surgiram outros desafios,  como por exemplo, como peticionar online nos Tribunais. A maioria deles já aceita o peticionamento eletrônico, no entanto para que ele possa ser realizado, o advogado precisa ter instalado em seu computador os programas e navegadores específicos exigidos por cada Tribunal. 

E como, às vezes, os programas dos Tribunais funcionam em sistemas operacionais distintos, o que o profissional precisa fazer é configurar individualmente o computador para enviar a petição para diferentes Tribunais. O que pode se tornar uma dor de cabeça para o profissional.

Outro fato interessante é que os documentos que acompanham a petição também podem ser enviados eletronicamente ao Tribunal, de uma só vez. A única coisa a qual o advogado precisa se manter atento é em relação ao número de arquivos que podem ser enviados e ao tamanho (megabytes (Mb)) de cada um deles. Há Tribunais que não aceitam arquivos com mais de 5 Mbs, por exemplo.

Para te ajudar nessa tarefa nada fácil, preparamos um passo a passo de como peticionar eletronicamente: 

1. Preparar o computador ou a plataforma para o peticionamento eletrônico;

2. Configurar o certificado digital;

3. Preencher o cadastro no Tribunal em que será feito o peticionamento eletrônico.

Um cuidado importante que se deve ter quanto a petição eletrônica é em relação ao sistema do Tribunal para o qual ela se destina. Às vezes, os sistemas dos tribunais saem do ar e o advogado tem monitorar manualmente o retorno para conseguir enviá-la, o que pode ser particularmente incômodo quando o prazo para o envio do documento está curto.

Esse é um problema que deixa de existir para advogados que optam por utilizar um software jurídico, por exemplo, pois a própria plataforma organiza todas as demandas em único lugar

A partir disso, automatiza o trabalho de monitoramento e concede poder de gestão. Dessa maneira, o advogado fica livre para executar outras tarefas, ganhando produtividade.

Esse tipo de software de automação da consulta de andamentos processuais já está disponível no mercado e é uma ferramenta que permite aos advogados tornar a sua rotina de trabalho mais dinâmica, prática e segura. 

Seu escritório de advocacia mais eficiente agora mesmo

Comentários 2

    1. Publicação
      Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *