Case software jurídico - ProJuris e Miguel

“Com ProJuris, acabamos com a necessidade de alimentar planilhas em Excel, relatórios e agenda física”

Cliente ProJuris, o advogado Miguel de Oliveira Paul conta um pouco de sua experiência com o software no escritório de advocacia Paul, Gouveia & Horta Advogados Associados

Fundado em 2016, no Centro do Rio de Janeiro, o Paul, Gouveia & Horta Advogados Associados tem foco em Direito Corporativo e, com o ProJuris para Escritórios, atende variadas demandas de pessoas jurídicas de diversas naturezas, tanto no aspecto consultivo quanto contencioso.

Segundo o advogado,  “O ProJuris foi fundamental para acabar com a necessidade de alimentar inúmeras planilhas em Excel, relatórios físicos e agenda de papel”, gerando uma rotina de trabalho mais eficiente de menos trabalho manual. 

Confira a entrevista completa:

O que seu escritório esperava resolver com um software jurídico e, depois, por que seu escritório escolheu o ProJuris?

A principal intenção era organizar a gestão de contencioso do escritório, de modo a implementar uma rotina que nos permitisse ter um controle maior dos processos do escritório e, principalmente, não perder nenhum prazo. O custo-benefício do ProJuris é muito bom, e o sistema é muito prático. Esses fatores foram os mais importantes na hora da escolha.

Quantas pessoas utilizam o ProJuris em seu escritório? Pode falar um pouco sobre como foi o processo de adaptação delas ao sistema?

São cinco pessoas com acesso ao sistema. A adaptação foi muito tranquila, pois o sistema é bastante intuitivo. Na verdade, os novos colaboradores precisam ficar mais atentos à rotina que o ProJuris nos possibilitou criar, do que ao sistema em si, que não tem muito mistério. Qualquer pessoa com um conhecimento razoável de informática consegue se adaptar bem.

Qual era a maior dificuldade na rotina de seu escritório antes do ProJuris, e como você enxerga o impacto do ProJuris neste fator?

A principal dificuldade era encontrar uma rotina que nos permitisse um controle total de todos os processos em que o escritório atua, e a consequente gestão dos prazos processuais.

O ProJuris foi fundamental para acabar com a necessidade de alimentação de inúmeras planilhas em Excel, relatórios físicos e agenda de papel.

Evidentemente, cada colaborador tem a sua maneira pessoal de se organizar dentro da sua rotina de trabalho, com agendas, planilhas, etc, mas sempre respeitando a rotina global do escritório, gerida pelo proJuris.

Já é possível identificar quais foram os processos que o ProJuris acelerou em termos de produtividade no escritório?

É certo que a comunicação e repartição de tarefas entre os integrantes de nosso escritório se tornaram mais céleres e efetivas após a implementação do ProJuris, o que, sem dúvida, influencia de maneira positiva em nossa produtividade.

É possível afirmar que o ProJuris trouxe melhorias na comunicação entre o escritório e seus clientes? Poderia descrever como era a comunicação antes e depois do ProJuris?

A implementação do ProJuris foi determinante para uma melhoria na organização do escritório. Como consequência, a comunicação com nossos clientes se tornou mais objetiva, pois todas as informações que nos são demandadas por tais clientes constam de suas respectivas pastas cadastradas no sistema ProJuris, que são de fácil acesso a qualquer integrante do escritório.

Nós temos ciência de que o ProJuris oferece ferramentas que possibilitam aos clientes acesso direto às informações sobre seus processos. No entanto, ainda não implementamos essa política no escritório.

De todos os módulos do ProJuris, qual você avalia como mais eficiente? Poderia nos descrever um pouco de sua experiência com o módulo?

Sem dúvidas, casos e agenda. São essas ferramentas que nos proporcionam maior segurança na gestão dos nossos processos e dos prazos processuais.

Imagine agora que você está falando com um escritório avesso à tecnologia, o que você diria a ele para incentivá-lo a controlar a rotina com tecnologia, mais especificamente, com um software jurídico?

Diria que, atualmente, o uso de tecnologias para o controle interno de um escritório é questão de sobrevivência. A advocacia, de uma forma geral, não pode ficar alheia aos novos tempos, tempos estes em que o dinamismo se tornou uma das principais características da relação entre os escritórios e seus clientes. Nesse sentido, sem uma ferramenta organizacional interativa e eficaz, como o ProJuris, é extremamente difícil que um escritório consiga atender, de forma plena, os anseios de seus clientes.  


Experimentar grátis por 7 dias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *