“Os consultores de vocês são advogados, isso faz toda a diferença”, Dra. Déborah Almeida, da LIQ

Para quem não é tão ligado no mercado ou não está familiarizado com a marca, A Liq é a principal empresa de Customer Experience do Brasil. Focada em inovação e com uma vontade contagiante de fazer a diferença, a companhia aproxima as marcas de seus consumidores por meio de soluções completas, incluindo CRM, estratégias voltadas para o Trade & Live Marketing e BPO. A Liq adota um olhar humano e uma abordagem all-line (varejo, voz, chat, e-mail, digital) para criar soluções customizadas, inteligentes, descomplicadas e centradas no consumidor final, sempre utilizando modernas tecnologias e multicanais como ferramentas para transformação do atendimento em uma experiência única de relacionamento.

Parceiros da ProJuris desde a metade de 2016, a Liq é uma gigante! Presente em nove estados brasileiros, a empresa conta com mais de 40 mil colaboradores, possui um departamento Jurídico com grande volume de atividades e 700 usuários no software jurídico ProJuris. Para destacar alguns pontos interessantes do dia a dia do Jurídico da Liq, convidamos a Doutora Déborah Almeida, Consultora da Área Consultiva e de Contratos. Confira:

 

Doutora Déborah, é um prazer falar com você! Obrigado pela oportunidade. Vamos, então, ao nosso começo protocolar para as entrevistas ProJuris? Gostaria que vocês falassem um pouco sobre a gestão do departamento jurídico da Liq antes de um software jurídico e, principalmente, quando aconteceu o ‘estalo’ de que vocês precisavam de um.

A necessidade de um software jurídico já era latente. A inovação constante e a adoção de novas tecnologias fazem parte da essência da Liq e, por isso, não fazia mais sentido ter tantas áreas utilizando produtos tecnológicos e o Jurídico ainda utilizando antigas planilha em Excel.

No entanto, precisávamos buscar uma tecnologia adequada para gestão do departamento e interface com outras áreas. Tanto que estávamos há um ano desenhando o produto tecnológico que nos atenderia. Quando a equipe de implantação do ProJuris nos recebeu, eles sabiam que tínhamos realizado este desenho para outro parceiro. Mas esse parceiro não conseguiu evoluir com as demandas do projeto customizado.

Entendi! E por que você acha que houve essa dificuldade inicial? Qual eram as características do projeto da LIQ, antes da implementação?

O nosso banco de dados é muito grande. Era, inclusive, o maior banco de dados que a ProJuris iria trabalhar naquele momento. Por isso, fazer tanta migração de informações processuais e contratuais gerava um risco elevado.

E deu certo com a ProJuris? Para além deste ponto, quais foram os outros benefícios que o software trouxe para a LIQ?

Acredito que a escolha do Projuris foi baseada em dois fatores primordiais: o primeiro é ser uma empresa focada na área jurídica. Vocês estão em um nicho específico, já ouviram falar sobre todos os problemas, já se depararam com todas as situações e têm soluções prontas, porque vivenciaram isso. Os consultores de vocês são advogados, isso faz toda a diferença quando você explica a sua necessidade.

O outro item é que vocês apresentam um software mais completo. De todos os que vimos, vocês tiveram o maior leque de opções, com módulos que atendem o Societário, Tributário, Compliance, Contencioso e Área de Contratos. Sabíamos da necessidade de concentrar muita informação na ferramenta, com isso era preciso definir um ambiente que tivesse condições de receber os dados e que pudesse servir a todo o Jurídico, bem como as outras áreas da Liq que interagem com o nosso departamento.

Legal! Vamos continuar em contratos, que é uma questão bem importante para departamentos que querem mais organização e precisam digitalizar seus dados. Como você acha que o ProJuris mudou a rotina da LIQ nessa questão?

Hoje temos mais celeridade e eficiência em nos nossos processos. O acesso rápido às informações contribui para que as áreas possam atender às demandas com maior eficiência. Isso principalmente levando em consideração o alto volume de dados e informações que a Liq transaciona. Isto favorece a nossa assertividade.

Só por curiosidade, quantas pessoas utilizam o ProJuris hoje dentro da LIQ?

Em torno de 700 usuários, entre advogados, prepostos, requisitantes, aprovadores e gestores.

E como é o dia a dia dessa utilização?

Eu posso falar pela área Contratual, onde o nosso cotidiano foi impactado positivamente. Foi uma grande revolução, pois os contratos passaram a ser requisitados, desenvolvidos, aprovados e geridos pela ferramenta. Dentro do ProJuris há todo um controle de Requisições e Contratos que nos é bastante útil. Está tudo ali, salvo e registrado.

É possível interagir com o requisitante e até com outras áreas diretamente pela aplicação e colher todas as informações necessárias antes de desenvolver o documento do contrato. Ressalto uma etapa importante, que foi customizada para a Liq: ao finalizar a redação do contrato, o mesmo entra automaticamente em um fluxo de aprovação. Então, temos todo o registro com as datas e os usuários que o aprovaram. É uma ferramenta que permite comprovar com assertividade, inclusive para questões de Compliance, que todo o fluxo de aprovação foi respeitado.

Como o fluxo de aprovações era feito anteriormente, Déborah?

Todo o processo era realizado por e-mail.

Entendi. Percebe-se que a questão de Contratos é muito importante para a LIQ.

Sim. Inclusive outro diferencial importante é o módulo de contratos pois, depois de tudo assinado, os gestores podem consultar e acessar os documentos, facilitando a gestão dos mesmos. Esse módulo nos avisa quando o contrato está próximo à data de vencimento, quais são as suas características como valor, cláusulas, etc. E não é um módulo acessível ao jurídico exclusivamente, mas uma ferramenta amplamente utilizada pelo gestor das áreas envolvidas.

Por exemplo, o gerente de Marketing, que tem contrato com uma empresa que faz a sua Assessoria de Comunicação, pode acessar o módulo de contratos do ProJuris e visualizar todas as informações dessa parceria.

Aproveitando que a entrevista está caminhando para esta linha, a da gestão de contratos, até mesmo devido à sua especialidade dentro do jurídico da LIQ, não posso deixar de perguntar sobre KPIs. Indicadores de desempenho são quase uma obsessão para nós, e estamos postando recorrentemente conteúdos a respeito. Vocês possuem essa prática?

Sobre os principais benefícios de vocês, esqueci de mencionar um ponto: os relatórios. Eu consigo gerar qualquer relatório, de forma simples e rápida. Escolho os campos que quero filtrar e tenho exatamente o que eu preciso para fazer nossas análises. Nós temos muito foco em atender os prazos das requisições, e por isso, por exemplo, todo mês extraímos as informações do período anterior para saber quantos documentos foram atendidos, quais eram os contratos, qual foi o tempo médio de atendimento e quais foram os advogados envolvidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *