Posts de advogados: como produzir conteúdo relevante para as redes sociais?

07/12/2023
 / 
11/12/2023
 / 
13 minutos

Uma das principais mudanças no marketing dos últimos anos é a questão de relevância de conteúdo. Independente da plataforma, profissionais de marketing de todo o mundo tem observado o comportamento dos usuários mudar em busca de profundidade. Isso muda, então, a maneira com produzimos conteúdo nas empresas. Isso inclui também a advocacia. Por isso, nesse artigo, vamos falar sobre posts de advogados e como produzir conteúdo relevante nesse nicho.

O que é considerado um conteúdo relevante?

Antes de falar sobre os tipos de conteúdo e dar dicas de posts é importante entendermos algumas coisas. A primeira delas é o que é um conteúdo relevante.

Apesar de parecer óbvio, a ideia do que é um conteúdo relevante vai além do que fazer um blogpost ou um post para redes sociais.

Quando falamos em conteúdo relevante, estamos falando sobre criar um relacionamento com seu público e trazer conteúdos com profundidade. Além disso, segundo aposta a RD Station, o conteúdo autêntico será cada vez mais valorizado pelo público. Segundo o dicionário americano Merriam-Webster, a palavra mais buscada em 2023 foi “autêntico”.

Logo, a primeira dica para produzir um conteúdo relevante é entender o que o seu público deseja. Por exemplo, você não precisa responder a um questionamento sobre um caso. Mas, pode fazer um conteúdo explicando o que pode acontecer em situações hipotéticas.

Vou te demonstrar como.

Vou sugerir aqui que você é um advogado trabalhista. Você pode criar um conteúdo que explique a regra para férias coletivas agora no final do ano. Este, pode ser um blog post, um post carrossel no Instagram, um Reels no Instagram ou vídeo para o Tik Tok e até um conteúdo para o YouTube. Dessa forma, você não estará dando uma consultoria gratuita, respeitando não somente seu trabalho, como também a ética da profissão. Mas você estará oferecendo um conteúdo que pode te ajudar a atrair audiência nas suas redes e, por consequência, clientes.

Viu o que eu fiz? Criei uma situação hipotética para te ajudar a criar um conteúdo nas suas redes. Você pode fazer o mesmo para o seu nicho. O ponto em questão é saber onde fazer o conteúdo, para quem, etc. Isso vou te ajudar a descobrir no tópico seguinte…

Como montar uma estratégia de posts de advogados nas redes sociais?

Antes de definir o conteúdo a postar, é importante ter uma estratégia clara. Com isso, estamos falando de saber quem é seu público, ter um objetivo claro, definição de temas, frequência, etc.

Para isso, vamos mostrar um passo a passo de estratégia de posts de advogados nas redes sociais. Acompanhe!

1 – Objetivo

O primeiro passo para uma estratégia de posts de advogados é ter um objetivo claro. Assim, defina o que você espera como resultado desse trabalho.

Por óbvio, cada empresa vai ter o seu. Logo, no seu escritório de advocacia é importante que você defina esses objetivos conforme os ideias e com os objetivos gerais do seu escritório.

Muitas pessoas acreditam que todos têm objetivo de “bombar” nas redes sociais, alcançar inúmeros seguidores, ser reconhecido pelo conteúdo criado nas plataformas. No entanto, nem todos têm essa meta. Alguns apenas desejam marcar uma presença digital. Logo, tudo muda na estratégia de conteúdo.

Nesses casos, não existe uma expectativa de resultado, ou seja, a frequência pode variar. O tipo de conteúdo vai variar, enfim, como já disse. Tudo muda.

Abra sua conta no Projuris ADV

Já se o objetivo é reforçar a autoridade digital da marca, no seu caso, o escritório, é necessário entender que a frequência de posts precisa ser maior. O conteúdo precisa ser mais informativo. Nesse caso é interessante até contar com um rosto que é a marca do escritório. Também vale atenção às trends e conteúdos que estão em alta para pensar a produção. Além disso, se o objetivo for atrair mais clientes, você pode usar a mesma estratégia para reforço de autoridade digital.

2 – Conheça seu público

Saber quem são seus clientes é essencial também para definir a estratégia de produção de conteúdo nas redes sociais. Isso porque, é necessário definir qual será o canal utilizado, que tipo de conteúdo será postado e qual linguagem utilizar.

Veja, você acha que faria sentido falar sobre inteligência artificial no Direito sendo um advogado que atua no previdenciário? Parece estranho, não? Afinal, por que um público que está buscando saber sobre direito previdenciário iria querer ler sobre IA?

Entenda que, não significa que esse público não possa gostar do tema, mas sim, que não é no seu Instagram que ele vai querer entender sobre isso, não é mesmo?

Mas calma! Isso também não significa que você não possa usar temas distintos para falar com seu público. Você só precisa entender como encaixar o tema para conversarem. Como estou fazendo aqui, a Projuris não oferece como serviço o marketing jurídico, mas entendemos que é uma maneira de ofertar um conteúdo de qualidade para os advogados, por isso, optamos por escrever sobre o tema!

3 – Defina os canais de comunicação

Conhecer o público e fazer a sua persona é essencial para entender o comportamento deste, como falamos anteriormente. Conhecendo o comportamento do público, fica simples entender onde eles estão, concorda?

Abra sua conta no Projuris ADV

Por exemplo, você já ouviu falar do Tik Tok do Duolingo? Sim, o aplicativo de aprendizado de idiomas possui uma das contas mais bem sucedidas da plataforma. E o motivo? O conteúdo conversa com o público que está lá.

A empresa entendeu o público, entendeu o que engaja com aquele público e em qual rede.

O mesmo vale para fazer posts de advogados. Voltemos ao exemplo do advogado que atua no Direito previdenciário. Considerando que o público do Tik Tok, hoje ainda é composto majoritariamente por pessoas entre 16 e 24 anos, faz sentido ter conteúdo sobre aposentadoria por lá? Vai depender da sua estratégia e objetivos, é claro, mas de modo geral, não parece que esse é um assunto de interesse do público entre 16 e 24 anos, concorda?

4 – Defina os tipos e frequência de postagens

Você já ouviu aquela frase “quem não é visto, não é lembrado”? Pois bem, é disso que esse tópico trata. A frequência das postagens vai depender, é claro, do seu objetivo.

No tópico de objetivos, mostramos que algumas empresas podem apenas querer marcar uma presença digital forte, mas não querem, necessariamente, criar essa proximidade com o público. Logo, para essa empresa não faria sentido postagens diárias. Assim, duas postagens semanais são o suficiente para suprir essa necessidade.

Mas se seu objetivo é criar um relacionamento com seu público, não faz sentido manter apenas poucas postagens semanais. É como uma relação entre amigos, é preciso manter o contato para perdurar.

5 – Defina o conteúdo

Sobre conteúdo, já explanamos um pouco nos tópicos anteriores, mas é bom reiterar. Tanto o público, quanto as redes sociais não estão investindo em conteúdos rasos. Mesmo que seja um vídeo curto no Tik Tok, o ideal é manter a qualidade do conteúdo.

Por isso, a definição dos conteúdos que serão postados é essencial. Faça, então, uma pesquisa dos assuntos mais importantes para sua audiência. Você pode usar, por exemplo, o Google Trends, o Tik Tok e até o ChatGPT para isso, basta perguntar para a IA “quais as principais dúvidas sobre assunto x” ela te responderá quais as maiores dúvidas sobre o assunto e, de quebra, você tem ideias de conteúdo para sua rede.

6 – Possua uma linguagem clara

A linguagem é um ponto muito importante quando falamos em posts de advogados. Isso porque, devido à linguagem jurídica, muitos advogados e advogadas produzem conteúdos que não condizem com a linguagem que o público entende.

Mesmo pessoas com alguma formação podem ter dificuldades relativas à formalidade da linguagem jurídica. É pior ainda se usar o latim, comum nos ambientes jurídicos.

Salvo se o seu público for outros escritórios de advocacia, então, é importante fazer o exercício de uma linguagem mais clara e acessível.

7 – Faça análises de resultados e replanejamento constante

De nada adianta fazer o conteúdo e não acompanhar os resultados que este traz, não é mesmo. Segundo Rafael Kiso, CEO da empresa de dados para redes sociais, a Mlabs, se existe a métrica, ela é importante. Assim, importe-se em avaliar os resultados apresentados pela própria rede.

O crescimento da rede pode, sim, indicar o crescimento da sua empresa. É lógico, quando mais pessoas viram o conteúdo, mais clientes convertem.

Avaliando conteúdo a conteúdo, é possível entender o que deu certo e o que não deu. Quais os melhores formatos, melhor horário, se é necessário ter pessoas ou não e muito mais.

Ademais, em caso de os números não estarem bons, indica que a estratégia não foi a melhor e que é preciso renovar!

8 – Atente-se às restrições da OAB

Por fim, e não menos importante: você é advogado, atentem-se as normas do código de ética da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Se você não se atenta a estas regras, pode sofrer punições e perder o direito de exercer a advocacia.

Assim, lembre-se: advogados não podem fazer promoções, fazer sorteios de serviços, oferecer pacotes de honorários, fazer consultas não pagas e postar fotos de tribunais e outros ambientes importantes para o jurídico.

Como fazer conteúdos relevantes conforme a rede social?

Outra dúvida comum entre os advogados é sobre a diferença entre as redes. Que conteúdo produzir para cada uma delas? Bom, vemos a seguir:

Posts de advogados no Instagram

O Instagram surgiu como um aplicativo para compartilhamento de fotos. Assim sendo, até os dias de hoje, as imagens ainda tem muito valor na rede social, mesmo após as diversas mudanças que a rede passou.

Hoje, o Instagram permite conteúdos em diversos formatos: reels, carrossel, post único e stories.

Além disso, no feed e nos stories, existem diferentes recursos para tornar seus posts mais atrativos e interativos.

Por ser a rede atualmente mais utilizada – pode perder o posto para o Tik Tok em breve, mas ainda não aconteceu – é o melhor canal de divulgação para qualquer empresa. O Instagram já atingiu aquele nível de rede em que todo tipo de público está presente.

Posts de advogados no Facebook

O Facebook, por outro lado, é uma rede que vem perdendo usuários ao longo dos anos. Apesar disso, não pense que ela não é mais relevante. Pelo contrário. Apesar das quedas, a rede segue sendo muito utilizada.

Assim sendo, a depender do público que seu escritório de advocacia atende, é sim, interessante publicar por lá.

Também é um ótimo canal para manter uma conexão mais próxima com seus clientes e sua audiência, uma vez que permite, por exemplo, a criação de grupos fechados, que podem se tornar uma comunidade.

Além disso, o Facebook permite publicações em texto, com imagens e com vídeos. Contempla, então, vários tipos de conteúdo. Também conta com stories e com um feed, um pouco distinto do Instagram, mas comum a redes mais antigas.

Posts de advogados no LinkedIn

O LinkedIn é a rede social profissional. Por ali, o foco será muito maior em sua carreira enquanto advogado.

Você pode abordar cursos que fez, coisas novas aprendidas, eventos em que compareceu, entre outros. A rede tem apelo maior para publicações em texto, mas imagens, carrosséis e até PDFs tem um alcance interessante na plataforma.

Posts de advogados no Tik Tok

Como já falamos em tópicos anteriores, o Tik Tok possui um público majoritariamente jovem. A Rede que ficou conhecida pelas suas dancinhas, no entanto, já é constantemente indicada como um novo buscador.

Isso porque, a produção de conteúdo dentro da plataforma é simples e a exigência de qualidade de edição também.

Veja, estamos falando de uma geração que não se importa tanto com efeitos e um vídeo extremamente bem produzido. Mas isso não significa que não se importam com o conteúdo que está sendo consumido.

O ponto aqui é: o importante é a informação passada e não como ela é passada

Posts de advogados no YouTube

A plataforma de vídeos é mais um instrumento de produção de conteúdo de qualidade. Com vídeos explicando sobre o Direito, você pode, por exemplo, complementar um artigo postado no seu site.

Da seguinte maneira:

Muitos acreditam que o conteúdo nesse formato maior está “morrendo”. Outros especialistas apontam que não. Particularmente, também não acredito que esteja morrendo e a prova disso é o boom dos videoscasts, como o Podcast “Os Sócios”, que fala sobre desenvolvimento pessoal e negócios e tem alto volume de visualizações.

Além disso, o próprio Tik Tok, que surgiu com uma proposta de vídeos curtos, hoje já permite vídeos de até 10 minutos.

Pensando desse modo, é uma excelente plataforma para conseguir que sua audiência siga na jornada de compra!

Posts de advogados em outras redes

Por fim, vamos pincelar apenas um pouco de outras redes conhecidas, como o Twitter e o Threads. Que tem formato parecido e são muito utilizadas para divulgação de notícias.

Você pode fazer um conteúdo informativo por lá, para falar sobre leis, falar sobre algum crime, comentar situações que bombaram nas redes, enfim. Existem diversas maneiras de fazer conteúdo por lá.

Leia também:

Conclusão

Resumindo um pouco do foi dito, então, as redes sociais são uma excelente maneira de difundir conteúdos. Por isso, foque em uma produção que, em primeiro lugar, sane dúvidas de sua audiência.

Você pode publicar dicas, comentar notícias sobre o mundo jurídico, esclarecer sobre leis, compartilhar podcasts em que você participou ou conteúdos que julgar interessantes, compartilhar pesquisas, artigos de opinião, citações, memes, posts interativos, etc.

O importante é entender quem é o público na rede, como ele se comporta e que tipo de conteúdo deseja consumir.

Perguntas frequentes

O que postar no Instagram de advogado?

Você pode postar em instagram de advogado: dicas, memes, reels com explicação de leis, reels com comentários sobre notícias jurídicas, reels e posts com explicações sobre termos ou conteúdos jurídicos, stories sobre o seu dia a dia de trabalho, etc.

O que um advogado não pode postar?

Um advogado precisa sempre cuidar para não responder perguntas sobre casos nas redes sociais, uma vez que pode ser considerado consultoria jurídica gratuita. Também não pode, segundo o código de ética, publicar fotos de prédios jurídicos e tribunais. E por fim, não pode publicar promoções ou combos de honorários.

Use as estrelas para avaliar

Média 5 / 5. 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário