Software jurídico e controle de inadimplência na advocacia

Como controlar sua inadimplência em períodos de austeridade de custos?

Pesquisa feita pela Legal Strategy, consultoria que atua no segmento de gestão legal, mostrou dados referentes à gestão dos escritórios de advocacia. Foram consultados 154 escritórios em São Paulo e no Rio de Janeiro e apenas 18% deles apresentavam algum tipo de planejamento estratégico, enquanto 5% adotaram um plano de negócios.

Os escritórios estão mais interessados na captação de clientes, mas se esquecem da gestão e, em muitos casos, contribuem para a inadimplência. Advogados iniciantes e os que já estão no mercado há mais tempo podem ter dificuldades em definir quanto e como cobrar, mesmo com a tabela da OAB. Tudo pode ser resolvido com um bom planejamento para receber em dia. Abaixo, apresentamos cinco dicas de como isso pode ser feito:

Neste conteúdo você vai encontrar:

1. Estabeleça orçamentos e acordos por escrito
2. Pagamento facilitado
3. Gerenciamento de contas
4. Comunicação é a chave
5. Advogados advogam, cobradores cobram

1. Estabeleça orçamentos e acordos por escrito


Antes de fechar o caso, estabeleça os valores e acorde com o cliente por escrito, na maneira exata como o serviço será calculado. Determine juntamente com ele quais serão os serviços, quando eles devem ser pagos, taxas, honorários e as consequências do não pagamento. Isso vale principalmente para contratos que envolvam prestações de serviços continuados, tais como a realização de diligências como advogado correspondente ou acompanhamento de processo. Determine valores que irão cobrir gastos como serviço de entrega dos correios, taxas cartoriais e jurídicas, entre outros.

2. Pagamento facilitado


Algumas lojas parcelam os pagamentos a prazo e isso conquista muitos clientes. O escritório de advocacia pode fazer o mesmo, desde que as condições favoreçam o andamento das atividades. Ofereça a possibilidade de pagamento com cartão de crédito ou débito, além de outras alternativas, com destaque para desconto mediante ao adiantamento, depósito em conta, transferência bancária, nota promissória ou cheque. O que não pode é deixar de receber.

3. Gerenciamento de contas

Para crescer e se manter no mercado é importante ter uma gestão de finanças adequada às necessidades do escritório. Por essa razão, é válido preparar o orçamento de acordo com os recebimentos previstos para os próximos meses. O escritório é quem define se serão 6 meses, 12 meses ou outros intervalos. Encurtar ou estender o ciclo de faturamento mensal deve ser bem pensado para conseguir quitar as contas e ter lucro.

LEIA TAMBÉM  17 critérios para escolher o melhor software jurídico em 2018

O ideal é ter alguém responsável pelo controle das finanças, em virtude de eventuais verificações das inadimplências e que irá fazer a cobrança junto ao cliente. Ele deve ser responsável por identificar os clientes com pagamentos atrasados, quais contas devem ser pagas pelo escritório e de lembrar (aos membros do escritório e aos clientes) as contas em atraso. Lembre-se que os valores devidos pelos clientes são determinantes para as finanças do empreendimento.

revertendo-inadimplencia-advocacia

4. Comunicação é a chave


O escritório deve se comunicar constantemente com o cliente, sobretudo para saber se ele está satisfeito com os serviços oferecidos. Se estiver tudo em ordem, com certeza ele não irá atrasar, uma vez que você será sempre lembrado, já que fez o trabalho de casa e entrou em contato. É importante também estar aberto para resolver pendências e discutir eventualidades que possam estreitar a relação.

5. Advogados advogam, cobradores cobram

Basicamente, os advogados não são os melhores cobradores – e nem devem ser eles a fazer este serviço. Além de correr o risco de arranhar a imagem, podem perder os clientes se cobrarem pessoalmente, por os colocarem em uma situação embaraçosa. O ideal é dar essa função a um profissional competente, que possa resolver essas questões administrativas. Dessa forma evita embaraços por parte do cliente e mantém a relação harmoniosa.

É claro, contratar alguém para se dedicar exclusivamente à cobrança de honorários nem sempre é uma possibilidade plausível. A maior parte dos advogados e escritórios de advocacia precisam “se virar” como podem para reduzir esses indicadores. Neste conteúdo, você poderá conhecer algumas ações que irão ajudar seu escritório a controlar a inadimplência mesmo sem um profissional contratado especificamente para cobranças.

É importante que os advogados se foquem no que realmente importa e deixar essas questões para quem sabe ou utilizar um software de gestão, como o Projuris – software jurídico. Trata-se de uma solução eficiente que auxiliará nas tomadas de decisões, aumentando a produtividade. Trata-se de uma ferramenta de fácil usabilidade, que pode ser acessada do computador, tablet ou smatphone e que permite a automação de tarefas, sobretudo de gestão.

Leia também: Não perca mais tempo nos sites dos tribunais, conheça a Central de Monitoramentos de processos

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *