Exercícios vocais: pra fazer bonito em uma audiência

O Discurso do Rei é um filme britânico de 2010, dirigido por Tom Hooper. Ele conta a história do rei Jorge VI (interpretado por Colin Firth) e seu problema com a gagueira, obrigando-o a contratar Lionel Logue, um fonoaudiólogo para lhe ajudar com a oratória, habilidade indispensável para seu papel na sociedade da época. Jorge VI passa por dezenas de exercícios vocais até enfrentar seu maior desafio: ter de realizar um discurso importante no rádio no começo da Segunda Guerra Mundial. A produção ganhou quatro estatuetas do Oscar (melhor filme, melhor diretor, melhor ator e melhor roteiro original) além de um elogio da rainha Elizabeth II, que disse ter ficado emocionada ao assistir a interpretação de seu pai.

O filme mostra que algumas dificuldades atingem todo tipo de pessoa, os principiantes e também, como no caso de Jorge VI, os mais experientes. Nós já demos algumas dicas de como falar em público, matéria publicada inclusive na segunda edição da Revista ProJuris.

Sabemos da importância da oratória na vida do advogado que, mais do que falar bem e corretamente, deve convencer, defender e argumentar. No texto referenciado da revista, focamos na questão emocional, depois de termos realizado algumas pesquisas na área de coach. Ou seja, abordamos as questões que ‘fogem do ato de falar’, muito mais ligadas à percepção do público e à autoconfiança do emissor da mensagem.

Desta vez, nosso papel é semelhante ao de Lionel Logue e ir à prática. Desta vez nossas pequisas não se restringiram apenas à atividade de coach, mas a de sites especializados em fonoaudiologia, onde fomos buscar sete exercícios vocais bacanas para, num dia de audiência, por exemplo, onde sua oralidade é muito importante, você se sair bem. Prepare-se:

Aquecendo

  1. Respiração: inspire lenta e profundamente. Na próxima respiração, fale um verso entre 12 e 14 sílabas (exemplo: amanhã o dia será maravilhoso ou o conhecimento traz responsabilidade). Deve-se falar duas vezes o mesmo verso. E repetir isso por três vezes. Este exercício desenvolve a capacidade de economizar o fôlego quando se está falando.
  2. Músculos faciais: comece alternando entre risadas leves e rápidas gargalhadas. Depois disso, simule como se estivesse com a boca cheia de chicletes. Faça os movimentos de mastigação por dez segundos.
  3. Língua: coloque uma caneta entre os dentes e leia alguma coisa ou pronuncie trava-línguas. Podem ser estes que você encontra na internet, como por exemplo: “Num ninho de mafagafos, cinco mafagafinhos há! Quem os desmafagafizá-los, um bom desmafagafizador será.

Exercícios de ortofonia

Ortofonia é um ramo da linguística  voltado à correção dos traços fonológicos (acento, articulação dos fones, ligação entre eles etc). Ou seja, dentro da língua portuguesa é possível encontrar diferentes características de sons, independentes ou combinados. quais devemos trabalhar para alcançar suas especificidades. Separamos dez frases que vão te ajudar nesse exercício, te ajudando a elastizar sua capacidade vocal:

  1. Cabelos cobriam corpos cálidos, caídos em catadupas candentes.
  2. Quem casa quer casa.
  3. Cumprindo com a concordata ganhamos confiança.
  4. A câmara capta o gato que correu contra a correnteza, quebrando a cabeça.
  5. O capenga cangaceiro capengava na capoeira do cangaço.
  6. Dagoberto doutor, descreve dezenas de doutrinas e dogmas, adotando o doutoramento dele editado.
  7. O dente dele dói e dá doença.
  8. Em Belém a enchente estende-se e ninguém a detém.
  9. Em Erechim enderecem este bilhete a Henrique, que tem de exercer a eleição.
  10. Filomena Felícia Fausta Fonseca, famosa flor, farmacêutica fez formidáveis fórmulas, fabricou formosos fortificantes e famosos fertilizantes, fazendo felizes frenéticos fregueses.
LEIA TAMBÉM  Inadimplência na advocacia - um guia completo

Ênfase e gesticulação

Todo tipo de comunicação possui palavras-chaves. De uma conversa de amigos a uma defesa diante de um juiz, há palavras que possuem um grande peso durante a transmissão da mensagem. Elas são capazes de arrancar olhares felizes e surpresos. Quando você escreve um e-mail, tende a sublinhá-las ou aplicar negrito, não é mesmo!? Pois na linguagem oral isto também é importante.

Pegue o texto de algum processo ou escreva um a partir de uma defesa sua e sublinhe algumas palavras. Leia em volta e busque criar emoções em cima das palavras sinalizadas, gesticulando, intensificando o tom de voz ou fazendo os dois ao mesmo tempo. Depois disso, releia o texto e desta vez aplique outro tipo de tom, velocidade e intensidade nas palavras.

Cuide com suas cordas vocais

Tão importante quanto saber o que fazer, é saber o que não fazer. Abaixo, fizemos uma lista reunindo várias recomendações de coisas que fazem bem e mal para sua voz:

  • Maçã é uma ótima escolha para quem desejar “limpar a garganta”, isto porque ela é um alimento adstringente;
  • Pigarrear faz mal. Ao contrário do que se pensa, pigarros não melhoram a secreção presente nas pregas vocais. Quando estiver em uma situação impossível de evitar pigarros, recomenda-se beber água.
  • Bocejar alivia tensões do pescoço e da cabeça, logo, faz muito bem para a voz;
  • O cigarro é um dos piores vilões da voz. A nicotina, associada ao calor da fumaça, resseca as cordas vocais fazendo com que você fique rouco ou force ainda mais a musculatura pra falar. Com o tempo, o cigarro deixa a voz mais grossa e com menos potência;
  • A bebida também é inimiga da voz. Ela irrita as vias respiratórias e altera a qualidade vocal;
  • Beba álcool com moderação. Ele também irrita as vias respiratórias e altera a qualidade vocal.
  • Ar condicionado, como era de se esperar, também faz mal. Ele compromete a respiração e ressaca o aparelho fonador, obrigando você a se esforçar mais pra falar.

Share this Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *