networking para advogados

7 dicas de networking para advogados introvertidos

Sabia que os introvertidos representam de um terço à metade da população mundial? É o que indica a conferencista norte-americana Susan Cain, em seu livro “The Power of Introverts in a World That Can’t Stop Talking” (O poder dos introvertidos em um mundo que não consegue parar de falar).

Ou seja, se você é um advogado introvertido, pelo menos não está sozinho. E não há qualquer contradição em sentir-se confortável para defender um argumento perante ao júri, mas não sentir-se à vontade em uma conversa olho a olho com um desconhecido.

No entanto, deixar de comparecer a eventos e conferências por timidez pode significar a perda de grandes oportunidades, parcerias e, claro, dinheiro. Captar clientes na advocacia e fechar negócios depende também de uma rede de relacionamentos estratégicos.

Mas nem tudo está perdido. Neste conteúdo, mostramos como o advogado introvertido pode usar essa característica a seu favor e fazer um ótimo networking:

1. Tenha um objetivo claro

Antes de ir a uma conferência ou evento social, certifique-se de ter seus objetivos bem claros para si, e tenha em mente como atingi-los.

Isso ajudará a saber com quem falar, onde focar seus esforços. Lembre-se: em termos de networking, mais importante que apertar todas as mãos é apertar as mãos certas.

Portanto, se você tiver como objetivo uma parceria de recomendação de clientes, procure se aproximar de advogados com uma carteira maior que a sua.

Nesse sentido, busque conhecer os convidados antes do evento, seja conferindo as redes sociais do evento, seja entrando em contato diretamente com a organização.

2. Chegue cedo ao evento

Se antecipe: ao chegar com antecedência em um evento, suas chances de se alocar em uma roda de pessoas são maiores do que chegando com atraso (e você não quer chamar a atenção com um atributo desfavorável)

Além disso, há a questão física. Ser um dos primeiros a chegar facilita encontrar – e escolher – um bom lugar para se posicionar e conversar com pessoas.

3. Fale com uma pessoa de cada vez

Pessoas tímidas muitas vezes sentem-se sobrecarregadas ao conversar com mais de uma pessoa ao mesmo tempo.

Claro, por vezes esse tipo de interação se torna inevitável. O caminho é calcular se você está ou não se sentindo confortável com a conversa e saber  o momento certo de interromper o papo e partir para o próximo.

Leia também: Por que advogados deveriam trabalhar o relacionamento com seus clientes?

4. Use o silêncio a seu favor

Ser tímido não é errado. Se você é um advogado tímido, isso não significa que você deva mudar seu jeito de ser, mas sim aceitá-lo e fazê-lo trabalhar a seu favor.

A maior parte das pessoas pensa que quem fala muito é mais lembrado. Elas estão enganadas: é mais lembrado quem ouve muito.

Então, se você não se sente muito confortável em falar, deixe que os outros falem, exponham suas ideias. Use sua capacidade de ouvir como uma instrumento para um bom networking.

5. Se conecte antes do evento começar

A grande dificuldade, quando pensamos em situações assim, como eventos e conferências, é se conectar com estes desconhecidos. Ao conectar-se com eles antes mesmo do evento começar, essa barreira é superada.

Para isso, busque as redes sociais dos eventos e se posicione nos tópicos de discussão. Caso ninguém tenha aberto um tópico, por que não você mesmo abrir?

Outra alternativa é entrar em contato com os organizadores para solicitar a lista de convidados e entrar em contato com pessoas estratégicas.

6. Tenha um perfil ativo no LinkedIn

O LinkedIn é uma vitrine profissional perfeita. Ter um bom perfil no LinkedIn e publicar ativamente fará com que os demais convidados conheçam você antes mesmo do evento começar.

Conectar-se a um usuário no Linkedin é diferente de fazê-lo no Facebook. Os objetivos são diferentes. Neste guia, mostramos como advogados podem usar a rede social para um networking eficiente e captar novos clientes.

7. Saiba falar de seu próprio negócio

Você faria negócios com alguém que não conhece seus próprios indicadores?
Estudar seu escritório, levantar dados relevantes poderá ser útil durante uma conversa. Além disso, ajudará a saber em quem mirar, definir interlocutores estratégicos. Alguns indicadores que você pode utilizar são:
  • Porcentagem de inadimplência
  • Número de clientes que seu escritório possui
  • Perfil do cliente e pagamento médio
  • Volume de processos em andamento

Leia também: Meu escritório não tem quem cobre clientes inadimplentes: e agora?

Comentários 2

  1. Muito obrigado pelos vossos conselhos sempre actual e oportuno.

    Um grande abraço para toda equipe da Projuris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *