ROI para advogados

ROI para advogados: o que é, e como calcular?

Seu escritório sabe quanto cresceu no último mês? Essa estimativa é fundamentada em estatística ou tem base em achismos e relatórios não tão precisos? E mais importante que isso, seu escritório é capaz de mapear quais causas e naturezas são mais lucrativas e quais não performam como desejado? 

Abaixo, falaremos sobre ROI, uma fórmula amplamente difundida no meio corporativo, pois possibilita a compreensão da contribuição de cada setor, segmento, ou seja, cada investimento no retorno final e no crescimento da empresa. Confira o que é ROI, qual sua importância e como calculá-lo:

O que é ROI?

Do inglês return on investment, ROI significa retorno sobre o investimento. Trata-se de uma métrica de gestão financeira que possibilita o entendimento de aonde foi o dinheiro do escritório no mês e de onde ele voltou.

Ou seja, é uma maneira de rastrear suas custas e verificar de onde vem o maior retorno. Assim, pode-se decidir por investir em causas mais lucrativas e evitar causas que demandam mais investimento e trazem menos retorno – ou reformar seus métodos para reverter indicadores negativos.

Portanto, o ROI de seu escritório se refere ao valor que seu escritório faturo em cima do valor total investido.

Como calcular o ROI?

Supondo que, hipoteticamente, se vá calcular o ROI de uma causa específica, onde investiu-se R$ 1.000 e se obteve o lucro de R$ 10.000 com honorários e êxitos e porcentagem sobre o processo, já descontados as custas. Calcula-se:

ROI = (9.000 – 1.000) /1.000 

Neste caso, o ROI é 8. Multiplique por cem e terá o valor em porcentagem. Quer dizer que o ROI da causa foi de 800%. É recomendável que sempre se converta os valores para porcentagem, pois facilita a precisão da comparação do retorno sobre o investimento entre uma causa e outra.

LEIA TAMBÉM  17 critérios para escolher o melhor software jurídico em 2018

Documentando informações para um cálculo preciso

Muito fácil o cálculo, não é? A fórmula é, de fato, extremamente simples. O que dificulta muitas vezes para os escritórios de advocacia é a falta de cultura de documentação de cada custa e recebimento. Sem rastrear todas as movimentações, é impossível um cálculo preciso de ROI.

É comum que sejam utilizadas planilhas para documentar essas informações. E eles até dão conta do recado, exceto quando se precisa gerar relatórios financeiros mais completos, além de ser necessário o conhecimento de fórmulas da própria plataforma para um aproveitamento minimamente satisfatório. A melhor dica para documentar as movimentações financeiras do seu escritório é utilizar um software jurídico com módulo financeiro, que permita uma visão gerencial de:

  • Valor total de receitas e despesas;
  • Data de inclusão da custa ou honorário;
  • Status da custa ou honorário (pago ou não pago);
  • Especificação individual de cada custa e honorário, associando o valor à pasta/pessoa correspondente.

 

O ProJuris para Escritórios possui um módulo 100% dedicado à gestão financeira do seu escritório. Saiba mais sobre como administrar suas finanças no ProJuris.

Lembrando que a compreensão de quais investimentos dão maior ou menor retorno também auxiliam na gestão de metas do escritório.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *