Como fazer gestão jurídica? 5 dicas práticas

12/06/2023
 / 
20/11/2023
 / 
11 minutos

O Brasil tem atualmente cerca de 1,3 milhões de adogados na ativa. Num mercado tão competitivo, muitos profissionais tem deixado de lado caminhos clássicos, como a advocacia contenciosa em escritórios ou a busca por cargos no Poder Judiciário. Ao invés disso, tem investido na seara da gestão jurídica.

Quem almeja esse futuro profissional, no entanto, costuma perceber rapidamente que o conhecimento das leis, da doutrina e da jurisprudência não são suficientes para exercer a atividade de gestor jurídico. Neste cargo, habilidades pouco vistas nos bancos das faculdades tornam-se centrais.

Neste artigo, explicaremos não apenas o que é gestão jurídica ou o que faz um gestor jurídico. Veremos alguns procedimentos fundamentais nessa área, além de um panorama sobre o mercado e dicas para ingressar nele. Fique conosco, e boa leitura!

O que é gestão jurídica?

A gestão jurídica compreende todas as atividades de gerenciamento e estratégia para a atuação de uma equipe de advogados ou profissionais do jurídico. Assim, a gestão jurídica pode ser exercida em escritórios de advocacia e, sobretudo, em departamentos jurídicos.

Como o próprio nome, a gestão jurídica trata especialmente dos aspectos gerenciais da atuação de um time jurídico. Por isso, quem ocupa essa questão pode se valer de habilidades nas áreas de:

baixe um guia com prompts para usar o chatgpt no jurídico
  • liderança de equipes e desenvolvimento de carreiras;
  • comunicação e relacionamento interpessoal;
  • finanças e análise de dados;
  • gestão de riscos;
  • planejamento estratégico e acompanhamento de metas;
  • entre outras.

Frente a isso, o profissional que ocupa cargos de gestão jurídica costuma ser bastante valorizado. Ao longo deste artigo, você verá quanto em média ganha um gestor jurídico, e como adentrar esse mercado. Continue conosco!

Por que é importante se preocupar com gestão jurídica?

Durante muito tempo, os profissionais do jurídico – mesmo no ambiente corporativo – estavam preocupados sobretudo com o conhecimento técnico na área do Direito. Conhecer as leis, a jurisprudência e a doutrina eram os grandes diferenciais.

Nas últimas décadas, no entanto, o profissional do jurídico não pode mais se limitar ao conhecimento técnico. Grandes e médias companhias esperam cada dia mais profissionalização do jurídico. Assim como os departamento Administrativo, Financeiro ou de Projetos, também o jurídico precisa mostrar seu valor estratégico para o negócio, seguir modelos de gestão, apresentar métricas, e assim por diante.

É nesse cenário de transformação recente que a gestão de serviços jurídicos se insere.

Como fazer a gestão jurídica? Estratégias práticas

Agora que você já sabe o que é e para que serve a gestão jurídica, é hora de adentrarmos à parte prática. Aqui, nosso objetivo é dar dicas simples para quem não sabe por onde começar. Em resumo, o trabalho de gestão envolve análises constante, capacidade de mapear cenários futuros e de conduzir todo o time gerenciado ao melhor resultado.

Para fazer isso, indicamos o seguinte passo a passo:

  1. Mapeie riscos e desafios;
  2. Desenhe um planejamento estratégico claro e executável;
  3. Adapte processos internos e evolua as ferramentas utilizadas;
  4. Invista em melhorar a comunicação e integração entre equipe;
  5. Crie indicadores para monitorar a evolução do seu departamento jurídico.

Abaixo, mostramos como tirar cada um desses itens do papel, a partir de hacks e técnicas comumente usadas no universo do gerenciamento jurídico. Vamos lá?

baixe e use 30 modelos de contratos essenciais para qualquer empresa

1. Mapeie riscos e desafios

Muitas pessoas pensam que o primeiro passo para desenvolver um trabalho de gestão jurídica eficiente é fazer um planejamento estratégico. Mas isso não é verdade. Antes de fazer qualquer planejamento, é fundamental se aprofundar no conhecimento sobre o cenário atual do seu jurídico.

Trata-se de identificar quais são os pontos sensíveis da operação, quais aspectos podem representar riscos à reputação e aos resultados do jurídico além, claro, de mapear quais desafios operacionais e de gestão que estão postos e precisam ser superados.

Para fazer isso, você pode usar metodologias advindas da área de Administração, como a matriz de análise SWOT. Outra abordagem bastante comum é aquela baseada em dados. Se já há dados sendo coletados na sua operação, você pode analisá-los a fim de identificar os principais gaps atuais.

Por fim, mas não menos importante um bom mapeamento de riscos também considera as relações com:

  • clientes;
  • colaboradores;
  • parceiros;
  • fornecedores.

Entender quais relações são estratégicas para o seu sucesso, e quais podem estar atravancando o crescimento do jurídico, também faz parte dessa análise inicial.

2. Desenhe um planejamento estratégico claro e executável

Muito se fala sobre manter um planejamento estratégico, mas você sabe como dar os primeiros passos nessa direção? Com um mapeamento de riscos e oportunidades em mãos, você pode começar definindo onde deseja chegar em seis meses, um, dois ou cinco anos, por exemplo. Lembre-se, sempre, de referenciar suas metas no tempo, para torná-las mais tangíveis.

Depois de definir quais metas e resultados precisa alcançar, é hora de estabelecer como você pretende chegar lá. Quais técnicas, métodos e ferramentas você precisará utilizar? Esse olhar apurado é fundamental porque, muitas vezes, para alcançar certas ideiais, será necessário aumentar a equipe ou contratar novos softwares e programas.

Depois que você definiu onde quer chegar e como pretende alcançar esses resultados, é o momento de partir para um detalhamento mais fino. Trata-se, em suma, de definir planos de ação. Você pode começar definindo um plano de ação para cada objetivo seu e, depois, num nível mais operacional, distribuir responsabilidades para o bom andamento desse plano.

agende uma demonstracao do Projuris Empresas software juridico

3. Adapte processos internos e evolua as ferramentas utilizadas

A boa gestão jurídica não depende apenas das habilidades do gestor. No dia a dia, os resultados obtidos dependem da rotina construída pela equipe, do alinhamento de processos internos, e da utilização de ferramentas capazes de potencializar o trabalho.

Por isso, para evoluir a gestão jurídica, é preciso ser capaz de criticar e aprimorar os procedimentos internos e as tecnologias utilizadas.

Quando falamos de processos internos, nos referimos essencialmente ao modo como as atividades são demandadas e realizadas. É possível que, nos últimos anos, diferentes canais de comunicação tenham sido usados para receber demandas – e-mail, conversas de corredor, WhatsApp. A reavaliação dos processos pode revelar, por exemplo, que sua equipe é mais eficiente ao concentrar o recebimento em um único canal.

Já quando mencionamos ferramentas, estamos falando sobretudo dos recursos e tecnologias utilizadas. A aprovação de minutas e procurações impressas ainda é realidade em muitos departamentos, por exemplo. Uma reavaliação desse cenário pode mostrar que é mais eficiente migrar para o digital, com contratos eletrônicos e assinatura digital de procurações.

4. Invista em melhorar a comunicação e integração entre equipe

Pode parecer um detalhe menos, mas não é. A comunicação e integração entre a equipe é fundamental para o sucesso de qualquer departamento e um dos principais desafios na área da gestão jurídica.

Quanto maior a equipe, maiores os desafios para manter todos os envolvidos alinhados e próximos. Mas, o bom gestor é aquele que consegue:

  • estabelecer procedimentos de comunicação claros;
  • cria momentos de integração;
  • fortalece os laços interpessoais;
  • ajuda seu time a evoluir emocionalmente.

E, claro, como você já deve imaginar, aqui estamos falando de um aspecto mais subjetivo da gestão jurídica, que exige mais softskills do gestor. De qualquer forma, nenhum resultado consistente pode ser mantido a longo prazo, sem comunicação e integração no jurídico.

5. Crie indicadores para monitorar a evolução do seu departamento jurídico

Para medir a efetividade das ações de gestão jurídica, é essencial criar e manter indicadores jurídicos. É a partir desse indicadores que você poderá medir os resultados obtidos, e identificar possíveis pontos de melhoria.

Existem dezenas de indicadores que podem ser adotados. Por exemplo, você pode criar indicadores a partir:

  • das principais frentes de atuação da equipe (como contratos, contencioso, consultivo, etc);
  • das metas de produtividade da equipe (como número de demandas atendidas, SLA de atendimento, horas trabalhadas por demanda, e assim por diante);
  • de dados e resultados financeiros (como ROI, custo por cliente, entre outros).

Lembre-se que os indicadores adotados precisam servir para reorientar o trabalho da equipe, ao mesmo tempo que ajudam a alta gestão a medir a eficiência do jurídico.

Leia também:

Como se especializar em gestão jurídica? Cursos e formações

Para atuar com gestão jurídica, muitos jovens advogados – e até mesmo pessoas originalmente formadas em outras áreas – tem investido em cursos de especialização. O Censo Jurídico 2023, em sua versão com foco nos departamentos jurídicos, mostrou que 60% das pessoas que trabalham nessa área já completou ou está cursando alguma pós-graduação.

No mercado brasileiro, há dezenas de opções de pós-graduações, LLMs e MBAs com essa temática. Mas, diante de tantas opções, qual curso de gestão jurídica escolher?

Para além de verificar a existência de alguma formação desse tipo junto a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da sua região, também vale conhecer algumas opções de cursos de gestão jurídica oferecidos por instituições de ensino conhecidas, como:

Vale lembrar que há, também, um grande volume de formações rápidas, cursos intensivos e workshops sobre o tema. Esses cursos podem ser uma boa alternativa para quem deseja avançar na aprendizagem de forma rápida, e ainda evoluir seu currículo.

Quanto ganha alguém que atua com gestão jurídica? Salário e mercado

Embora não haja pesquisas salariais específicas, plataformas como o Glassdoor indicam que um gestor jurídico ganha em média R$ 8.990 mensais. Os salários, em algumas circunstâncias podem superar os R$12 mil. Tudo vai depender do tamanho da companhia e das responsabilidades assumidas pelo gestor jurídico.

Mas, será a gestão jurídica um bom caminho profissional para seguir? Nos eventos jurídicos que a Projuris participa e promove, a percepção geral é de que a área de gestão jurídica está cada vez mais valorizada. No Censo Jurídico 2023, 49% dos entrevistados disseram que o departamento jurídico é enxergado como “importante” dentro das empresas.

Para além, é importante ter em mente que o leque de oportunidades vai além dos cargos de gestor, gerente ou diretor jurídico. Cada vez mais, surgem cargos de liderança segmentados no jurídico. É o caso, por exemplo, das direções de Compliance e LGPD. Por isso, a combinação entre conhecimento técnico e experiência em gestão jurídica deve ganhar cada vez mais espaço.

Como o Projuris contribui para melhorar a gestão jurídica?

Nós sabemos que a gestão jurídica pode ser uma tarefa muito desgastante, por isso, desenvolvemos tecnologias para tornar o dia a dia dos profissionais do jurídico mais simples. Com nossa plataforma de inteligência legal, empresas dos mais variados segmentos são capazes de gerir demandas contenciosas, consultivas, de contratos e acordos em um único sistema.

Ao fim, os advogados podem deixar de lado dezenas de controles paralelos, planilhas e imensas trocas de e-mail. E, mais do que isso, podem fazer a gestão jurídica de modo mais inteligente, a partir de uma infinidade de dados coletados e organizados na plataforma.

Você pode conhecer as funcionalidades da nossa plataforma que mais se adequam às necessidades do seu jurídico, basta agendar uma conversa com um de nossos especialistas.

Perguntas frequentes

O que é gestão jurídica?

É o conjunto de atividades gerenciais e estratégicas para coordenar a atuação de uma equipe de advogados ou profissionais do jurídico, seja em um escritório de advocacia, seja em um departamento jurídico.

Como ser um gestor jurídico?

Para ser um gestor(a) jurídico(a) é necessário reunir não apenas conhecimento técnico no campo do Direito, mas também softskills e habilidades relacionadas à gestão de equipes, de metas, de indicadores e resultados. Muitos profissionais do Direito acabam optando por fazer cursos de especialização para obter colocações na gestão jurídica.

Conclusão

Está claro que a gestão jurídica pode ser uma atividade bastante desafiante, mas igualmente recompensadora. E, neste caso, não estamos nos referindo apenas aos retornos financeiros.

Como a gestão de serviços e times jurídicos envolve exige de gerenciamento de equipes e de metas, bem como, a preocupação com o sucesso do cliente. Por isso, é comum que os profissionais dessa área encontrem oportunidade para desenvolver inteligência emocional e capacidade de relacionamento interpessoal.

Além, claro, da gestão jurídica impactar em definitivo nos resultados de qualquer negócio, podendo trazer sucesso e realização profissional para quem encabeça essa área. Esperamos que este artigo lhe ajude a encontrar caminhos para adentrar nesse novo campo de oportunidades profissionais. Bom trabalho!

Receba meus artigos jurídicos por email

Preencha seus dados abaixo e receba um resumo de meus artigos jurídicos 1 vez por mês em seu email

Use as estrelas para avaliar

Média 5 / 5. 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário