Imagem ilustrativa

Tendências Jurídicas para 2022

Por muito tempo, escritórios de advocacia e departamentos jurídicos foram resistentes à automação de atividades internas.

Mas a verdade é que os efeitos da pandemia forçaram muitos a mudar de marcha nos dois últimos anos e buscar – ou pelo menos considerar – uma automação mais ampla para certas demandas jurídicas.

A pandemia resultou na adoção de tecnologia em uma escala quase impensável ​​sob quaisquer outras circunstâncias. As audiências no tribunal, até a Suprema Corte, de repente estavam sendo conduzidas pelo Zoom, e profissionais jurídicos se viram colaborando com colegas ou se reunindo com clientes inteiramente por meio da tecnologia. 

Essas tecnologias já estavam em uso, de fato, mas a pandemia acelerou a adoção em um setor que é bastante conservador em circunstâncias normais.

E agora que essas tecnologias estão sendo fortemente usadas, não há como voltar atrás. É possível afirmar que o uso de tecnologia na esfera jurídica avançou uma década.

Além disso, há de se considerar que a tecnologia passou a ter um impacto direto e positivo na produtividade e eficácia corporativa tanto de escritórios como dos departamentos, é inegável seu potencial para transformar o “valor do trabalho jurídico”.

E, para que os profissionais possam inovar e melhorar a eficiência, há uma série de tecnologias jurídicas que podem gerar resultados nos negócios. Mas, dentre tantas opções, quais são as principais tendências de software jurídico para 2022? 

1. Cibersegurança

Estamos vendo um aumento constante nas regulamentações de privacidade e segurança de dados – uma tendência que só vai se intensificar. 

Com inúmeros escritórios e departamentos, tribunais e conselhos adotando modelo de trabalho remoto, surgiram mais ameaças, do que nunca, à segurança cibernética.

Em novembro de 2020, por exemplo, hackers atacaram e criptografaram mais de 1,2 mil máquinas virtuais do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Em 2022, esta segurança se tornará a meta principal para proteger os dados legais de ataques online ou de qualquer acesso não autorizado.

Além disso, o impacto das regulamentações de privacidade, no jurídico, se estenderá além da retenção de dados e governança de informações. 

Será preciso considerar as implicações das leis de processamento de dados durante a coleta, preservação, revisão e produção de evidências, pois essas atividades deverão estar em conformidade com os mesmos regulamentos de privacidade de dados de outras partes da organização.

Portanto, obter software de gestão em nuvem, com protocolo de segurança rigoroso, será o melhor método para mitigar qualquer violação de dados. 

2.  Rastreamento de demandas remoto

Com os profissionais precisando resolver demandas jurídicas remotamente e, principalmente, precisando demandar tarefas, a possibilidade de rastrear e acompanhar será uma das fortes tendências do próximo ano.

Softwares que possuem a gestão de demanda de equipe e permitem o acompanhamento delas serão o diferencial para os advogados.

3. IA e aprendizado de máquina 

As plataformas de Inteligência Artificial (IA) e Aprendizado de Máquina (ML) continuarão ganhando destaque no setor jurídico nos próximos anos, pois é essa tecnologia que lidera o caminho para melhorar a eficiência e a produtividade dos escritórios de advocacia. 

Departamentos e escritórios de todos os tamanhos podem reduzir o tempo administrativo gasto em tarefas, e processos como gerenciamento de contratos e documentos são simplificados por meio de inovações importantes nas plataformas de inteligência legal.

Ouça agora o podcast: Inteligência Artificial no Direito

4. Relatórios, análises e KPIs otimizados

No caso de grandes escritórios de advocacia ou grandes departamentos jurídicos, o conhecimento sobre a gestão de suas operações deve ser uma prioridade. 

Portanto, uma plataforma que forneça ferramentas otimizadas de relatórios, análises e KPIs (Indicador-chave de Performance), que ajuda os usuários a atingir seus objetivos, modificando a prática de trabalho para se tornarem mais produtivos e eficientes, é indispensável. 

Olhando para 2022, os profissionais precisam também focar no rastreamento de seus KPIs – um processo que reduz o risco executando e examinando regularmente os dados em seus sistemas.

5. Mais automação de fluxo de trabalho

Implementar a automação do fluxo de trabalho jurídico será outra tendência para 2022. De acordo com a Deloitte, mais de cem mil funções jurídicas serão automatizadas até 2036.

Um software de gestão serve para automatizar processos e tarefas, tornando processos jurídicos complicados, mais fáceis de gerenciar e mais eficientes . 

Quer se trate de processos, comunicações com o cliente ou gestão financeira, um sistema tem o poder de facilitar a demanda diária fazendo com que escritórios e departamentos sejam recompensados ​​com eficiências.

Autor: Tiago Fachini

Siga o Tiago Fachini:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *