Controller jurídico: qual a importância e como é o dia a dia na profissão?

08/07/2021
 / 
30/06/2023
 / 
11 minutos

Você é um advogado ou uma advogada que prefere realizar atividades de gestão a atuar diretamente com os processos e clientes? Este artigo foi feito para você, mas também para os escritórios de advocacia cujos advogados e advogadas não gostam tanto assim das funções de gestão. Já pensaram em dar match? E não podemos nos esquecer, é claro, daqueles que já se uniram para tornar o trabalho na advocacia ainda melhor, ou seja, os escritórios que possuem controladoria e o Controller Jurídico.

Você já percebeu que, apesar de advogar, sente que isso não brilha aos seus olhos e acabar até cogitando começar outra faculdade ou mudar de profissão?

Se no seu caso o problema for, explicitamente o Direito, acredito que vale o risco. Mas se você deseja atuar com Direito, apenas em outro tipo de atividade, bom, talvez você possa tentar as atividades de controladoria. Já pensou nisso?

Estou dizendo tudo isso porque hoje, vou contar a você, quais as atividades um Controller jurídico executa, quais as competências este profissional deve ter e, principalmente, a importância dessa atividade para escritórios de advocacia. Para quem já atua na função, calma, não esqueci de vocês. Também não esqueci dos escritórios que possuem controladoria. Nesses dois casos, relembraremos a importância da colaboração entre os setores e como um software jurídico pode ser um aliado nas atividades da controladoria.

Bom, agora que você já sabe o que te espera neste artigo, continue a leitura para saber mais sobre a controladoria jurídica em escritórios e a como é a rotina na advocacia de um Controller Jurídico.

O que é um controller jurídico?

O controller jurídico é o profissional que cuida do funcionamento das rotinas do escritório, tornando a gestão mais eficiente. Suas atribuições estão ligadas tanto as atividades de gestão, quanto aos resultados do que é produzido no escritório.

Nesse sentido, seu papel se assemelha bastante ao de um gerente de uma empresa, porém, adaptado a realidade da advocacia. Como se trata de um profissional responsável pelas atividades de supervisão, o controller jurídico também tem um papel de liderança. Por isso, além de comandar a equipe, ele delega atividades internamento, acompanha a execução, orienta e monitora o trabalho dos demais advogados.

Quais as funções de um Controller Jurídico?

Vamos começar então, com as funções de um Controller Jurídico. Esse profissional é o responsável por dar suporte ao setor técnico do escritório de advocacia.

Como o próprio nome diz, ele controla as diversas atividades do escritório de advocacia, garantindo melhores resultados, maior produtividade e reduzindo a sobrecarga dos colaboradores.

De certa forma, podemos dizer que o Controller consegue atuar também como o padrão de qualidade do escritório, pois este assume a função de realizar relatórios das entregas e da produtividade dos times.

Em grandes escritórios, o Controller Jurídico ou a controladoria – para escritórios com mais de um Controller -, também são o elo entre as áreas, ligando as atividades dos advogados e advogadas às atividades do setor de TI, de marketing e até mesmo, no setor financeiro.

Além disso, o Controller também é o responsável pelo controle das agendas dos advogados e advogadas, buscando garantir o cumprimento de todas as determinações legais de processos, bem como, acompanhar os andamentos de processos.

Já se pode observar apenas nesse quesito que, para atender todas as necessidades, independente do tamanho do escritório, o Controller precisa contar com tecnologias que facilitem essa gestão. Assim, esse profissional deve estar sempre atento as inovações tecnológicas e ter conhecimentos aprofundados em softwares jurídicos. Mas falaremos disso mais tarde. Vamos ao próximo tópico.

Abra sua conta no Projuris ADV
o que é e o que faz um controller jurídico. Definição e conceito.

Qual a importância de um Controller Jurídico?

Como você pôde observar no tópico anterior, contar com um Controller Jurídico é essencial. Especialmente em escritórios onde os advogados e advogadas não são muito familiarizados com a gestão jurídica, preferindo, portanto, advogar.

Com a instalação de uma controladoria jurídica, ou a contratação de pelo menos um Controller jurídico, a eficiência e produtividade dobram.

Pense comigo. Como um advogado ou uma advogada daria conta de todas as atividades da advocacia, função que desempenham bem e amam, e ainda fazer a gestão de um escritório, sem um software jurídico e um Controller? Certamente, algumas coisas acabariam perdendo a prioridade.

Alguns escritórios acabam não optando por implementar um setor de controladoria por acreditarem ser um setor “caro”, ou então, por considerarem um modismo. Ocorre que, esse setor, na realidade, acaba muitas vezes sendo a peça chave para aumento, não só da qualidade e produtividade, como também da renda do escritório. Assim sendo, se o escritório é ainda pequeno, mas possui ganas de crescer, a contração de um Controller ou a implementação de uma controladoria é primordial.

Você também pode se interessar por:

Quem contrata controller jurídico? Onde estão as vagas para esses profissionais

Médios e grandes escritórios costumam ser mais propícios a contarem com um setor de controladoria, afinal, as demandas são muitas e existe a necessidade de uma distribuição e gestão de produtividade.

baixe uma planilha para controle de fluxo de caixa e acompanhe as financas do seu escritorio de advocacia

Além disso, escritórios antenados com as tendências, e com uma veia inovadora, tendem a investir mais nesse tipo de profissional. Desse modo, se você está buscando por uma oportunidade nessa área, vale considerar esses pontos.

BAIXE AGORA: Manual do Controller Jurídico: tudo o que você precisa saber

Quais as competências necessárias para atuar com controladoria?

Certo. Você já entendeu a importância desse profissional e quais suas funções. Mas o que é necessário para atuar como Controller Jurídico? Como já apontei, uma das skills necessárias para atuar como Controller jurídico é o conhecimento das tecnologias voltadas para a área.

Existe também uma grande discussão sobre a necessidade de um Controller Jurídico ser, também, um advogado ou advogada. Para a maioria dos escritórios, essa exigência existe.

Outra questão que não é necessariamente uma competência, mas que os recrutadores utilizam para selecionar os Controllers é a disponibilidade para parar de advogar do profissional. Veja, mesmo que a exigência seja de um profissional, às vezes, até com OAB válida, o profissional não atuará como advogado. A exigência se dá pelo conhecimento prévio nas funções de seus colegas, permitindo maior empatia, e principalmente, maior know how no momento de fazer uma análise de resultados. Nesse sentido, muitos escritórios também solicitam o conhecimento de consultivo e contencioso.

Ademais, skills de liderança e de gerenciamento são indispensáveis para a atuação nesta área. Assim também, organização e visão sistêmica.

Por fim, como em qualquer função, a pró atividade, responsabilidade e autonomia.

Quanto ganha um Controller Jurídico?

Com o tanto de exigências e atividades, é fato que você deve estar se perguntando quanto um profissional da controladoria jurídica ganha. Afinal, todo profissional busca – e deve fazer isso – saber uma base salarial de suas funções.

Segundo o site Vagas, um Controller jurídico em início de carreira ganha, em média, R$4.765,00 e pode vir a ganhar até R$ 15.518,00. A média geral do Brasil é R$9.042,00.

Agora, você já consegue, ao se candidatar para uma vaga, saber se o salário está compatível ou não. Além disso, sabendo de suas competências, você consegue ser mais assertivo ao negociar um salário.

Quais ferramentas de gestão na advocacia contribuem para as atividades da controladoria jurídica?

Diversas são as ferramentas que podem contribuir com o trabalho de um Controller Jurídico. Inclusive, já dei um spoiler nos parágrafos anteriores nesse sentido. Vejamos, a seguir, algumas soluções interessantes para esse profissional.

1. Ferramentas de gestão de equipes

Bom, qualquer ferramenta de gestão de equipes podem contribuir para a distribuição das atividades, utilização de metodologias ágeis, controle de produtividade, etc. Alguns exemplos dessas soluções são:

  • Trello;
  • Asana;
  • Notion;
  • Airtable; e
  • Planner.

2. Sistemas e softwares jurídicos

Além disso, utilizar sistemas que permitem controlar os processos, andamentos e intimações são indispensáveis. Aqui, é claro, estamos falando de um software jurídico.

Existem softwares jurídicos para diversas atividades. Quando pensamos no Controller Jurídico, é fato que, o software primordial é o de gestão.

Com um software de gestão jurídica, além de fazer o controle de processos, andamentos processuais e intimações, o Controller também consegue fazer a gestão de cliente, de atividades dos colaboradores e de compromissos e audiências.

Além disso, com um software como esse, fazer a integração entre as diferentes equipes do escritório jurídico é ainda mais fácil. Isso porque, boa parte desses sistemas contam também com funcionalidades que são úteis para as outras áreas do escritório, por exemplo, o setor financeiro.

Desse modo, os softwares de gestão jurídica permitem integrar as informações completas dos escritórios de advocacia.

3. Ferramentas de visualização de dados e indicadores

Muitos softwares, como o Projuris ADV, por exemplo, já incluem ferramentas de visualização de dados e extração de relatórios. Porém, se seu software escolhido não inclui essas possibilidades, será preciso investir em alternativas para acompanhar as métricas do escritório. Alguns exemplos de ferramentas de visualização de dados são:

  • Power BI
  • Google Data Studio
  • QuickView

Como a controladoria pode atuar com as demais áreas do escritório de advocacia?

Não é novidade que em qualquer empresa, quando as áreas não conversam entre si, os resultados não são os mesmos.

No escritório de advocacia não ocorre de maneira diferente. Quando a situação em um escritório é de falta de integração, cada área olha de maneira particular para as suas necessidades e as metas não são compatíveis. Com um Controller Jurídico, é possível alinhar as expectativas e as funções de todas as áreas.

Assim, é possível fazer um planejamento estratégico comum a toda a empresa. Então, todos caminharão para o mesmo objetivo, e o trabalho será, além de mais produtivo, mais colaborativo. Além disso, a comunicação será muito mais clara e amigável.

No fim das contas, o resultado será um trabalho de muitas mãos e a comemoração também.

Quando contratar um controller jurídico?

Não existe um momento ideal para contratar um controller jurídico. Esse profissional pode ser um diferencial para escritórios de diferentes portes e perfis, independentemente do seu estágio de desenvolvimento.

Para os escritórios que estão crescendo, no entanto, contratar um controller jurídico pode ser ainda mais vantajoso. Isso porque, esse profissional pode ajudar a fortalecer a infraestrutura interna, preparando assim o escritório para o crescimento. Em geral, quando não existem rotinas estruturadas e o escritório começa a crescer, a equipe costuma ficar sobrecarregada e a perda de clientes acaba sendo inevitável.

Perguntas frequentes sobre o controller

Qual o perfil de um controller jurídico?

Em geral, pra atuar como controller jurídico, o profissional deve ter um perfil gerencial, de liderança, e orientado a resultados. Ser comunicativo, organizado e capaz de delegar tarefas também é importante.

Quem pode ser Controller jurídico?

Ter formação e conhecimento em Direito é essencial para ser um controller jurídico. Mas esse não é o único requisito. A maioria dos contratantes optar por profissionais com habilidades de gestão e liderança, para ser controller.

Conclusão

O Controller jurídico, portanto, é um profissional estratégico que pode contribuir para o desenvolvimento do escritório, auxiliando o negócio crescer de forma mais sustentável. Afinal, além de organizar a gestão, a contratação desse profissional pode impactar na produtividade e nos resultados do escritório.

Se você está buscando vagas de controller jurídico, ou quer ingressar na área, é essencial estar por dentro das funções, responsabilidades e habilidades exigidas para o cargo. Se você está pensando em contratar um controller, precisa entender exatamente como é a atuação desse profissional.

Em ambos os casos, nosso Manual do Controller Jurídico pode ajudar. Ali, detalhamos as particularidades do perfil de atuação desse profissional, e as tendências futuras da controladoria jurídica. Não deixe de conferir!

Quer ficar por dentro das novidades sobre gestão de escritório de advocacia?  Faça seu cadastro e receba as novidades em seu e-mail.

Receba meus artigos jurídicos por email

Preencha seus dados abaixo e receba um resumo de meus artigos jurídicos 1 vez por mês em seu email

Use as estrelas para avaliar

Média 5 / 5. 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário