software juridico é seguro

Software jurídico é seguro? Entenda como a criptografia protege seus dados

Uma preocupação recorrente de advogados ao procurar por um software jurídico, seja para o seu escritório de advocacia, seja para departamentos jurídicos de empresas, é a condição segurança a qual seus dados estarão submetidos quando armazenados no sistema.

Informações de processos, documentos de clientes, documentos dos próprios advogados, entre outras informações confidenciais estarão cadastradas no software jurídico e qualquer violação pode ter consequências irreversíveis. Nesse sentido, de que modo um software jurídico pode assegurar ao escritório ou departamento jurídico total segurança no armazenamento de dados?

Neste conteúdo você vai encontrar:

Software jurídico é seguro?
O que é criptografia?
Criptografia simétrica ou assimétrica?
Como identificar se meus dados estão seguros?

Software jurídico é seguro?

O que define se um software jurídico é seguro são os protocolos de certificação digital. Estes certificados garantem que a comunicação e armazenamento de informações em nuvem aconteça por meio de mecanismos de criptografia, como acontece no ProJuris para Escritórios e no ProJuris para Empresas, por exemplo.

O que é criptografia?

Nas civilizações antigas, como Roma, Egito e Grécia, a escrita cifrada permitia que estes povos se comunicassem por meio de códigos que só eles conheciam. Dessa forma, evitavam que informações importantes fossem roubadas por outros povos.
A base da segurança digital consiste nisso. Informações cifradas para impedir que os dados do usuário caiam nas mãos erradas. A criptografia garante que todas as informações estejam disponíveis para o usuário e somente para o usuário.

Criptografia é o mecanismo que traduz informações inteligíveis em informações ilegíveis e desordenadas para qualquer agente externo. Isso impediria, por exemplo, que um hacker acessasse suas informações. Seu funcionamento se dá por meio da codificação das informações e embaralhamento dos dados estruturais.

Criptografia simétrica ou assimétrica?

Existem dois tipos de criptografia, simétrica e assimétrica.

    • Criptografia simétrica: a mais utilizada na internet, a criptografia simétrica ficou famosa por ter sido utilizada pelos aliados durante a Segunda Guerra Mundial. É a chamada criptografia de ponta-a-ponta, porque se fundamenta na ideia de que uma chave usada para ocultar uma informação seja a mesma utilizada para mostrá-la em outra ponta (no caso de troca de mensagens, como é o caso do WhatsApp).

  • Criptografia assimétrica: foi inventada para corrigir um erro básico da criptografia simétrica. Na criptografia simétrica, a mesma chave é utilizada para garantir a troca de informações entre dois canais, o que facilita a interceptação de terceiros. A criptografia assimétrica é fundamentada em chaves distintas e complementares.

O ProJuris para escritórios, assim como o ProJuris para empresas é certificado pelo protocolo SSL, onde a criptografia assimétrica cria uma chave de sessão que é utilizada na criptografia simétrica.

Como identificar se meus dados estão seguros?

Identificar se um site ou software jurídico online tem um protocolo de certificação digital é muito simples. Todo site ou sistema protegido tem, em frente à sua url, o código “https:” e a palavra “Seguro” acompanhada de um cadeado verde, que funciona como uma espécie de carimbo de certificação digital.

segurança em software jurídico

Além de se certificar de que seus dados, informações, documentos e processos estão em um ambiente digital protegido, há outros tópicos relativos à segurança  aos quais o advogado deve estar atento.

Armazenamento: certificados digitais garantem a proteção contra a interceptação de informações, mas não dizem nada a respeito de armazenamento dessas informações. O que garante que, da noite para o dia, todos meus dados estejam perdidos?

Para sua segurança, se certifique de que o software jurídico trabalha com informações salvas em nuvem. Cloud torna o backup dispensável. As informações não estão salvas em um meio físico, mas sim em diferentes servidores, garantindo que possa ser acessada em qualquer lugar do mundo, e somente por você.

No ProJuris é assim. A combinação de protocolos de segurança digital, mecanismos de criptografia e armazenamento em nuvem, o escritório ou departamento jurídico está 100% seguro.

Autenticidade de documentos eletrônicos: assim como documentos físicos, em papel, os documentos digitais precisam ser autenticados para atribuir a eles uma validade legal. Neste conteúdo, falamos sobre como garantir essa autenticidade e garantir que o processo eletrônico não obstrua a rotina do advogado, mas a torne muito mais eficiente:

Requisitos para processos eletrônicos confiáveis: todo Processo Judicial eletrônico (PJe) precisa ser seguro e garantir que as informações, além de serem verídicas, não possam ser acessadas indevidamente. Neste conteúdo, listamos os requisitos que tornam um PJe confiável.

Leia agora: Cinco requisitos básicos para que um processo eletrônico seja confiável

Comentários 10

  1. A informação é um dos ativos mais valiosos de uma empresa,sendo assim o armazenamento em nuvem e a comunicação criptografada é um requisito essencial para um software Jurídico.

  2. Gostei do texto! Sempre me preocupo com a segurança de informações. O assunto está em voga, tendo em vista o fiasco do facebook, então acho muito válido explicar como isso se aplica ao software.

  3. Ótima explicação!! Acredito que o grande medo tanto dos profissionais do departamento jurídico quanto das demais áreas, seja a segurança de suas informações!

  4. Muito esclarecedor o tema, ainda mais para quem não entende muito de tecnologia ou quer se afastar dela.
    É um assunto que você tem duas escolhas: se preocupar um pouco agora e exigir a segurança das suas informações ou deixar para depois e sofrer prejuízos incalculáveis.

  5. Dados são o que temos de mais valioso no mundo atual, e é imprescindível que estejam seguros.

  6. De extrema importância o post. O tema abordado tem ganhado grande foco nos últimos tempos, porque os dados que transitam atualmente pela internet possuem cada vez mais restrições em termos de sigilo.

  7. Confesso que é normal atentar primeiramente à atributos técnicos e culturais, ou seja, avaliar se os dados que atualmente considero relevante serão tratados ou não no software jurídico escolhido.

    É interessante perceber que existem temas importantíssimos como estes, segurança, que sem a devida tratativa podem passar despercebido e fazer falta no futuro. Parabéns

  8. Importante abordagem sobre segurança digital. Conteúdo claro mesmo para profissionais de outras áreas.

  9. Elucidante… fundamental saber se nossos dados estão ou não seguros na Internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *